ARTE EM PAPEIS
simple website creator

O PROJETO

O projeto arte em papéis propõe a realização de oficinas de Kirigami, Origami Washi-ê e Pipa por meio de inserção de arte em papel japonesa nas escolas públicas de Belo Oriente.

No mês de maio de 2018 serão ministradas 20 oficinas. Em cada escola serão realizadas 04 modalidades, com carga horária de 8 horas cada oficina, que atenderão quinze alunos, totalizando 300 beneficiados pelo projeto.

OBJETIVOS QUALITATIVOS

• Contribuir para a criação de valores humanos, utilizando como instrumento as diversas modalidades da milenar arte em papel.

• Implementar a consciência de uma cultura de paz, propugnada pelo Centro Cultural Internacional Tikufukai e seu fundador Tikufu Ota.

• Contribuir para o desenvolvimento da amizade entre Brasil e Japão, por meio do intercâmbio cultural.

Mobirise

OFICINAS

Mobirise

KIRIGAMI

A arte Kirigami pode ser definida basicamente como a arte de recortar papéis. Desde a antiguidade, dobrar e cortar papéis como forma de arte e passatempo estão presentes na cultura japonesa. Kiru, em japonês, significa “corte” e kami (leitura: gami), papel. Esta “arte de recortar papéis”, com o complemento de pequenas dobras (origami=dobradura de papel), fez surgir uma nova apresentação artística muito utilizada sob a forma de cartões tridimensionais, onde os recortes do kirigami são ressaltados com as dobras do origami, dando tridimensionalidade e valor às peças. É interpretada como um Kirigami Tridimensional porque ocorre a transformação do papel da forma bidimensional para o tridimensional. As figuras parecem “saltar do papel” como num passe de mágica. Isso agrega valor ao trabalho em que se utiliza o papel. Um simples pedaço de papel pode se transformar em coisas maravilhosas, até mesmo em verdadeiras obras de arte, trabalhando a criatividade, a coordenação motora e funcionando como uma terapia. São montados a partir de cortes, dobras e encaixes de papel, mantendo a originalidade de um trabalho artesanal que exige muita precisão e capricho. É possível confeccionarmos cartões comemorativos, convites de casamento, de aniversário, materiais promocionais como calendários e brindes, catálogos, livros infantis, peças decorativas e o que a criatividade nos permitir! Desenvolvemos as oficinas para atender nosso público de forma natural, agradável e prazerosa onde poderão expandir suas potencialidades cognitivas, o equilíbrio emocional e a coordenação motora. Serão ministradas aulas teóricas e práticas, incluindo apresentações com recursos visuais para deficientes auditivos. Orientação de artes em papéis japoneses e sua utilização. Como é possível adequar ideias e valores para a concepção das artes. Fundamentação teórica por meio de textos (manual), designando origem e o contexto histórico do papel. O surgimento das artes orientais com o papel.

Instrutor: João Satoru Honda
 
Estudou Origami e kirigami no Centro Cultural Internacional Tikufukai do Brasil durante 10 anos, de 2003 a 2016 e formou se professor de Origami/kirigami. Participou com a obra Árvore de 1.000 tsurus de sua autoria na Exposição dos 35 anos do Centro Cultural Internacional Tikufukai do Brasil, na Galeria Hideo Kobayashi - Ipatinga no ano de 2008. Foi Professor no Workshop de Origami na festa de 50 anos da Usiminas Mecânica-Ipatinga, participou como desenhista e escultor na criação de obras com bambus/origamis da Exposição dos 40 anos do Centro Cultural Internacional Tikufukai no Brasil, na Galeria Hideo Kobayashi - Ipatinga, Coordenador da Exposição de Amizade Nipo-Brasileira em comemoração aos 108 anos de imigração Japonesa no Brasil realizada na Galeria da Assembleia Legislativa de Minas em BH (2009), no Projeto Cultura Japonesa no Vale do Aço pela Lei de Incentivo Estadual à Cultura (2011 a 2016) como responsável pela criação artística da Exposição ao final do Projeto e professor de origami e culinária japonesa.

Mobirise

ORIGAMI

Origami é uma arte tradicional da cultura japonesa que consiste em fazer dobraduras com pequenos pedaços de papel. Animais, elementos da natureza, objetos e figuras humanas são produzidos através das dobraduras. Este tipo de artesanato é muito comum no Japão, porém se espalhou pelo mundo todo. Técnica para desenvolver habilidades motoras; Contribuir para diminuir o desperdício aproveitando sobras de papéis que iriam para o lixo fazendo dobraduras artísticas. Serão ministradas aulas teóricas e práticas, incluindo apresentações com recursos visuais para deficientes auditivos. Orientação de artes em papéis japoneses e sua utilização. Como é possível adequar ideias e valores para a concepção das artes. Fundamentação teórica por meio de textos (manual), designando origem e o contexto histórico da escrita e do papel. O surgimento das artes orientais com o papel.

Instrutora:  Jaísa Rodrigues de Souza

Frequentou o curso de Ikebana e Origami no Centro Cultural Internacional Tikufukai em Ipatinga de 1979 a 2009. Iniciou o Curso de capacitação para professor de Origami e Ikebana - Centro Cultural Internacional Tikufukai – de 2007 a 2010, professora de contação de história e de artes na Fundação São Francisco Xavier – Ipatinga de 1986 a 1989. É professora de Origami no Projeto Cultura Japonesa no Vale do Aço em suas 9 (nove) edições realizadas entre 2008a 2016, patrocinado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura em vários espaços como na Fundação Aperam, Instituto Cultural Usiminas - Usicultura, Faculdade Pitágoras, Casa do Artesão, Escola Renascer, Escola Municipal Padre Cícero de Castro, Criarte, Casa de Filosofia Ângela Ataíde.

Participou de Exposição comemorativa dos 30, 35 e 40 anos do Centro Cultural Internacional Tikufukai nos anos de 2003, 2007, 2011 com obras de Origami e Ikebana na Galeria Hideo Kobayashi e na Exposição Nipo-Brasileira comemorativa aos 108 anos de Imigração Japonesa no Brasil, na Galeria Capanema Assembleia Legislativa de Minas em 2008, também atuou no Workshop de Origami no Projeto Contém Cultura em Periquito (2017), Workshop de Origami na festa de 50 anos da Usiminas Mecânica-Ipatinga.

Mobirise

WASHI-Ê

Será ministrada a técnica artesanal de washi-ê ou tiguiri-e que utiliza papel produzindo artesanalmente no Japão para formar e construir desenhos. É importante destacar que o modo de fazer o washi, que possui mais de 1.300 anos de registro, foi reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial da Humanidade. Assim, a oficina utiliza o washi, que é rasgado, desfiado, sobreposto, justaposto e colado sem a utilização de tintas, para produzir desenhos únicos. Serão ministradas aulas teóricas e práticas, incluindo apresentações com recursos visuais para deficientes auditivos. Orientação de artes em papéis japoneses e sua utilização. Como é possível adequar ideias e valores para a concepção das artes. Fundamentação teórica por meio de textos (manual), designando origem e o contexto histórico da escrita e do papel. O surgimento das artes orientais com o papel.

Instrutora: Yoshiko Inoue Honda

Especializou como professora (Ikebana, Origami, Tiguiriê, Washi) no Centro Cultural internacional Tikufukai do Japão, de 1988 a 1990. Especialização em Washi- ê no Japão-Atelier de Nagoya (2002). Professora de Origami, kirigami, Caligrafia Japonesa, Washi-ê no Centro Cultural Internacional Tikufukai desde 1988 até hoje.

Proponente e Coordenadora geral do Projeto Cultura Japonesa no Vale do Aço, financiado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura epatrocinado pela Usiminas realizado em Ipatinga nos anos de 2011, 2012, 2013, 2014 e 2016. Coordenadora da Exposição de Amizade Nipo-Brasileira comemorativo dos 30 anos do Centro Cultural Internacional Tikufukai do Brasil em Agosto de 2003, dos 35 anos e 40 anos do Centro Cultural Internacional Tikufukai-Origami, Ikebana, Zokae, Washi-ê, Pintura, Caligrafia Japonesa, na Galeria Hideo Kobayashi -Centro Cultural Usiminas – Usicultura, nos anos de 2007 e 2011. Proponente e professora do projeto “Cultura Japonesa no Vale do Aço”, patrocinado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura em sua 1ª e 2ª, 3ª edição de 2007, 2008,2009. Atuou no Projeto de Ikebana e Origami para professores de Educação Artística da Rede Municipal de Ipatinga no ano de 2000. Professora de Oficina de Origami aos pedagogos da Faculdade Pitágoras em Ipatinga, em 2015, e coordenadora Geral na Exposição Nipo-Brasileira Comemorativa aos 108 anos de Imigração Japonesa no Brasil, na Galeria Gustavo Capanema da Assembléia Legislativa de Minas em 2008 com workshops de origami, ministrou Workshop de Origami no Projeto Contém Cultura em Periquito (2017), workshop de origami na festa de 50 anos da Usiminas Mecânica – Ipatinga.

Mobirise

PIPAMODELISMO

Com forte presença cultural e muito popular em todos os cantos do mundo, as pipas são conhecidas, desde a sua origem, como uma brincadeira criativa e saudável, que colore os céus, fazendo a imaginação dançar ao sabor dos ventos. As pipas japonesas trazem algumas imagens com significados específicos, como atributos à vida longa (cegonha ou tartaruga), fortaleza (carpa), prosperidade (dragão), aprendizado (Sugawara, Deus do Aprendizado), boa sorte (Darumá, o anão feliz), assim como faces de demônio para talismã contra a maldade.

Instrutor: Ken Yamazato

Apaixonado por papagaios desde criança, professor Ken Yamazato é engenheiro mecânico e já foi dezenas de vezes premiado em campeonatos e festivais de papagaio. Entrou no Guinness Book Brasil 98 ao empinar um “trem” de 242 pipas. Em 1999 chegou à marca de 3344 pipas empinadas em uma única linha. Incansável na difusão do pipamodelismo, participa, juntamente com sua equipe, de vários eventos festivos fazendo demonstração não somente de sua técnica, mas, principalmente, ensinando as crianças (e adultos!) a confeccionar e empinar as pipas.

ESCOLAS

Escolas contempladas pelo projeto em 2018:

07/05
Manhã 30 alunos: Origami 1 T1 e Kirigami T1
Tarde 30 alunos: Origami 1 T2 e Kirigami T2

14/05
Manhã 30 alunos: Origami 1 T1 e Kirigami T1
Tarde 30 alunos: Origami 1 T2 e Kirigami T2

08/05
Manhã 30 alunos: Origami 1 T1 e Washi-ê T1
Tarde 30 alunos: Origami 1 T2 e Washi-ê T2

15/05
Manhã 30 alunos: Origami 1 T1 e Washi-ê T1
Tarde 30 alunos: Origami 1 T2 e Washi-ê T2

22/05
Manhã 15 alunos: Pipa T1
Tarde 15 alunos: Pipa T2

24/05
Manhã 15 alunos: Pipa T1
Tarde 15 alunos: Pipa T2

09/05
Manhã 30 alunos: Origami 2 T1 e Kirigami T1
Tarde 30 alunos: Washi-ê T1 e Kirigami T2

16/05
Manhã 30 alunos: Origami 2 T1 e Kirigami T1
Tarde 30 alunos: Washi-ê T1 e Kirigami T2

23/05
Manhã 15 alunos: Pipa T1
Tarde 15 alunos: Pipa T2

25/05
Manhã 15 alunos: Pipa T1
Tarde 15 alunos: Pipa T2

10/05
EM Antônio Firmino • Manhã 15 alunos: Origami 2 T1
EM Francisco Gonçalves • Tarde 15 alunos: Washi-ê T1

17/05
EM Antônio Firmino • Manhã 15 alunos: Origami 2 T1
EM Francisco Gonçalves • Tarde 15 alunos: Washi-ê T1

11/05
EM Esperança (Distrito Esperança) • Manhã 15 alunos: Origami 2 T1
EM Boachat (Brauninha) • Tarde 15 alunos: Origami 2 T1

18/05
EM Esperança (Distrito Esperança) • Manhã 15 alunos: Origami 2 T1
EM Boachat (Brauninha) • Tarde 15 alunos: Origami 2 T1

A EQUIPE

Conheça melhor a equipe responsável pelo projeto:

O Centro Cultural Internacional Tikufukai foi fundado pelo Sr.Tikufu Ota, emérito educador, mestre de Ikebana, no Japão em 1971, na cidade de Shimonoseki. Preocupado com a substituição dos valores humanos pela chamada educação técnica, voltada para a produção, em todo o mundo, Tikufu decidiu fundar uma instituição que viesse a contribuir com a educação interiormente motivada, enfatizando a importância do belo, do bom e do benefício através do que chamava a construção de um coração bonito a partir da educação infantil, tendo como base educacional o desenvolvimento das características essenciais e o diálogo mundial entre as mais diversas culturas. Assim, no Vale do Aço, o Centro Cultural Internacional Tikufukai oferece há mais de 43 anos oficinas de Ikebana, Origami, Caligrafia Japonesa, Zokae, Danças e culinária japonesa nas escolas públicas e privadas.

A Espaço Ampliar- Assessoria, Projetos e Eventos é uma empresa estruturada para atender a organização de eventos em geral e a elaboração de projetos sócio-culturais, desenvolvidos para instituições públicas e privadas. A Espaço Ampliar possui como diretrizes a excelência e a ética na prestação de serviços.

Fundada em 2003, a empresa atuou no desenvolvimento e execução de diversos projetos, como os listados abaixo, dentre outros: Festival do Japão em Minas (2012/2013/2014/2015/2016/2017/2018), Semana da Gastronomia Mineira (2015, 2016 e 2017), Circuito Gastronômico da Pampulha (2017), Diamantina Gourmet (2016/2017), Livro “Banda de Cá, banda de lá” de Mariana Ramos (2012), Prêmio da Música das Minas Gerais (2012/2013/2014/2015/2016/2017), Mundial de Clubes de Vôlei (2013/2014/2015/2016), Circuito pela Paz (2012/2013/2014/2015/2016/2017), Minas Eventos Expo (2013, 2016 e 2017), Brumadinho Gourmet (2010, 2011, 2012 e 2013), Festival de Inverno de Itapecerica (2005 a 2017), Festival de Inverno de Vespasiano (2009 a 2017), Festival da Canção de Conceição do Mato Dentro (2010 - 2011), Exposição Encontro Marcado com Fernando Sabino (2010), Livro “Nas teias do Sagrado” de Mariana Ramos (2010), Festival da Primavera de Oliveira (2010), Mostra Cultural Fica Vivo! (2010), V Seminário da Diversidade Cultural (2010), Mesa de Bar de Pará de Minas (2010/2009), 50 anos da PUC Minas (2008),produção do projeto Juventude é Viver (2009), Coordenação do Festival Cultural de Virginópolis (2007), produção do show de lançamento do CD "Em Nome do Amor" de Tadeu Franco (2006), Coordenação do projeto "Cantigas de Umbanda" gravação de CD (2006) Elaboração e Produção do "Resgate Histórico da Corporação Musical Nossa Senhora das Dores" (2006) - levantamento do acervo histórico, digitalização, turnê em 10 cidades, gravação CD e livro, elaboração dos projetos de manutenção anual do Museu do Clube da Esquina (2005 a 2008), construção do Itinerário Formativo da Área de Lazer e Desenvolvimento Social para o SENAC-MG (2006), Natal do Big Shopping e Projeto Aplauso para o Big shopping (2005, 2006), organização do Encontro Estadual de PICs do Estado de Minas Gerais, para a UNESCO, tendo como palestrantes MV Bill e Leci Brandão (2005).

Diretora da empresa SET- Projeções e Produções de Filmes Ltda, que atua no desenvolvimento, execução e produção de diversos projetos de cultura e turismo desde 2002. Integrante do Grupo de Empreendedores no Desenvolvimento do Turismo do Vale do Aço- SEBRAE, diretora adjunta de eventos do Convention e Visitors Bureau Vale do Aço (2017/2018). Membro do COMPHAI - Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Artístico Ipatinga e do Conselho Municipal de Política Cultural de Ipatinga (2017/2018).

Produção do Show à Brasileira, com Liz Eulália (2018), produção do Centenário do Samba: A história do samba interpretada por vozes femininas (2017), apoio à produção do Desvio Cultural de Ipatinga (2017), prestação de serviço de elaboração, captação, produção do Projeto Cultura Japonesa no Vale do Aço, Lei Municipal de Incentivo à Cultura em sua 1ª, 2ª e 3ª edição de (2007/2008/2009) e Lei Estadual de Incentivo à Cultura nos anos de (2011/2012/2013/2014, 2015/2016). Fez também a produção do Projeto Balido (2014), do evento Economia Criativa/ SEBRAE com Lala Deheinzelin (2014), do projeto Cem Anos de Vinicius (2014), e ainda a produção, planejamento, operacionalização das atividades de campo e administrativas, no âmbito do processo de prestação de serviços de pesquisa Diagnóstico de Impactos no Turismo, Cultura, Esporte e Lazer advindos do evento com a Empresa Samarco Mineração S.A (2016). Produção, planejamento e organização das atividades de campo e administrativas, para o Mapeamento Cultural de Ipatinga (2014), produção do Cinema de Todo Mundo (2013), do Projeto Cultura nas Escolas exibição de filmes infantis MINC (2015/2016). Elaboração e produção executiva do projeto Poesias de Bar em Bar e Estação Cinema (2009/2010/2011/2012/ 2013). Produção do projeto Tributo à Nagib Tufik e ChauquetTufik (2011). Projeção dos filmes na Mostra Internacional Infantil em Ipatinga e para o Cine Festival, dentro do 35° e 36º Festival de Inverno de Itabira (2009/2010). Produção de oficina de fantoche/ contação de histórias para a Associação Bem Estar Social, Turismo, Inclusão Social e Meio Ambiente Estimativa (2010)-Rio de Janeiro. Produção da Cia das Histórias, no Projeto Colônia de Férias no Complexo do Alemão no Rio de Janeiro (2011) / SESC. Realização de Oficinas de Artes Visuais (2011), no SESC Ramos/RJ, produção de Oficina de Brinquedos Populares- SESC NITERÓI (2011). Produção de apresentações e intervenções artísticas com temática ambiental, Bosque da Barra, Floresta da Tijuca e Quinta da Boa Vista - Teatro SESC/RAMOS, Rio de Janeiro (2011). Produção e realização de Intervenções artísticas, contação de histórias, música, cortejo brincante, instalações, oficinas de produções de bonecos, pintura, escultura e brinquedos populares- Projeto A Volta ao Mundo entre Histórias e Brincadeiras, no Teatro- SESC RAMOS (2011). Produção do Projeto Cinco Sentidos, com espetáculos e oficinas, nas escolas públicas do entorno – SESC Madureira-R.J. (2011). Produção de Intervenção artística Vila Pererê, integrante do projeto Expressão Afro SESC- São João do Meriti (2011). Produção de Apresentações Teatrais “Kwertzaltotch”: com a participação do Grupo Cia das Histórias. SESC Ramos- Rio de Janeiro (2012). Produção de oficina de fantoche/contação de histórias para a Associação Bem Estar Social, Turismo, Inclusão Social e Meio Ambiente Estimativa (2010) Rio de Janeiro, produção da Cia das Histórias, no Projeto Colônia de Férias no Complexo do Alemão R.J. (2011), pelo SESC. Produção Filme Casamento Negro (2009), produção do Projeto Mostra Aberta Itinerante de Cinema Nacional - Estação Cinema (MG) e do Projeto CINEVALE, no Vale do Jequitinhonha (2008). Produção Poesia de Bar em Bar (2006/2007), produção do Projeto Congado 80 anos (2004/2006). Assistente de produção da Mostra Aberta e Itinerante de Cinema Nacional -Estação Cinema (2006), assistente de Produção Projeto Mostra Aberta Itinerante de Cinema do Vale do Aço- Cineva (2004). Coordenação, produção e realização do Projeto Quinta Cultural (2003).  

NDg Marketing e Comunicação